https://i1.wp.com/origin.stag.wired.com/images/article/magazine/1601/ff_gondry1_f.jpg

Lúcio Ribeiro reportou em seu blog:

O importante diretor de cinema, vídeos musicais e comerciais Michel Gondry mostra uma nova faceta em São Paulo nesta sexta-feira: a de DJ. O cineasta cool francês desempenha um DJ set em festa promovida por um relativamente novo bar de São Paulo. Não posso falar o nome do local, primeiro porque é segredo. Depois porque não tem. Gondry, diretor de incríveis vídeos de bandas “pequenas” como Chemical Brothers, White Stripes, Bjork, Radiohead e Daft Punk, abre exposição em São Paulo na próxima segunda-feira. O tema da expo é o inédito (passou na Mostra de SP) filme “Rebobine, Por Favor”, estrelado por Jack Black (foto acima) e Mos Def. O propósito do evento, tal qual no filme, é dar ao visitante (ou espectador) recursos para ele fazer um filme caseiro. Sim, “Rebobine, Por Favor”, o filme, é tão “diferente” (= “bem doido”) quanto os trabalhos anteriores de Gondry: “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças” e “Ciência do Sono”. A exposição acontecerá no Museu da Imagem e do Som em São Paulo (Jdim Europa), até 11 de janeiro.


Para aqueles que não entenderam nada ai vai um resumo do filme e da exposição.
Em “Be Kind Rewind”, novo filme de Michel Gondry, Jack Black e Mos Def são funcionários de uma pequena locadora de vídeo que, depois de apagarem acidentalmente o conteúdo das fitas VHS da loja, resolvem reencenar e protagonizar os filmes.

“Robocop”, “Conduzindo Miss Daisy”, “O Rei Leão”, “A Hora do Rush 2″, “Os Caça-Fantasmas”, entre outros, são todos refilmados pelos dois, utilizando latas, canos, cartolinas, um quintal cheio de lixo e uma câmera velha do dono da locadora.

Para convencer os fiéis clientes da loja a continuarem alugando os filmes, eles chamam suas recriações de “Sweded”, “Sweded movies”, algo como um verbo para Suécia (Sweden). “É um país distante e muito caro”, explica Jack Black para um dos clientes.

Assim como os outros filmes de Gondry, “Be Kind Rewind” não tem nada de convencional. E por isso, o marketing do filme segue o mesmo caminho.

A idéia por trás do site do longa, www.bekindmovie.com, é mostrar que a Internet foi deletada acidentalmente, e assim os visitantes terão que “swedar” a web. Só que além da internet, a New Line vai trazer junto com Gondry esse conceito para o mundo offline.

A exposição permiti as pessoas reencenar os filmes que quiserem. Será uma espécie de estúdio de “Sweding”: as pessoas participam de um workshop com Gondry, filmam e editam enquanto filmam (o que significa parar a filmagem e ir para a próxima cena, sem edição posterior). Cada filme deverá ter entre 5 a 10 minutos.

Gondry explica: “Em duas horas, você entra na loja, cria uma história, filma e assiste seu filme. Então você deixa uma cópia na loja, para quem quiser alugar, e leva outra com você.”

Mas além do marketing, a intenção de Gondry com isso é criar uma espécie de galeria de filmes feitos pelas pessoas, que ficarão expostos e disponíveis para quem quiser alugar.

Me recordo de ter visto o programa, da Ex-VJ da MTV Didi Wagner no Multishow, “Lugar Incomum”. onde foi só sobre essa exposição. Pareceu algo bem divertido e interessante, para quem curtiu o filme,  não pode perder essa oportunidade de fazer o seu próprio Sweed Movie.
P.S.: Michel Gondry como DJ é um grande cineasta.